27.3.07

Palavras Cruzadas

Ela
Na vida
Tanto que não mais saiu
Rastejante na ponta de um dedal azul
Ou saiu - esteve de certeza com ele, na vida, com ele, na vida,
Uma vez mais
-
Levantada por um impulso de nuvem
Há cerca de cinco meses de mãos dadas
E nunca mais saiu.

4 comentários:

  1. Hugo Torres28/03/07, 00:49

    tic-tac-tic-tac... pum! =o)

    ResponderEliminar
  2. Riff de bateria...

    Revolve a envolvência de um dia banal...
    Que se torna diário
    E rola-se em camas... E troca-se a alma de sempre, hipotecando as dúvidas.

    Querer o outro mais do que querer certezas.

    E ser-se livre, estando dentro de outrém. Seja uma só pele. Seja um só sabor...


    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Para retribuir não são só o comentário num dos posts do blog,mas também pelo poema que acabo de ler, aqui colocado, e deveras inspirado!

    « Tu lhes dirás, que ambos nos sorrimos
    Do que dizem e pensam
    E que a nossa aventura,
    É no vento que passa que a ouvimos,
    É no nosso silêncio que perdura.»
    Ary dos Santos

    ResponderEliminar
  4. querido sílvio. boa páscoa para ti. um grande beijinho. saudades *

    ResponderEliminar