22.3.06

Elevado ao forte o rosto tudo aguenta. Pensei em brincar com folhas, rasgar tudo verde, amplio esse anel de cimento até cobrir o dedo, sou candidato à presidência do cordão do teu sapato, lido que está o código cívil para te arquear os lábios em u. Elevado ao escuro a espécie tudo chora, mais ou menos vermelho, na rua da porta da praça sem fim do fundo da casa, a minha campanha é escrever banalidades e submetê-las a um dia mundial de uma porra qualquer.

6 comentários:

  1. DO YOU SUFFER FROM ACNE, PUT A STOP TO IT
    http://www.acne-trouble.info

    ResponderEliminar
  2. Cláudia Leal23/03/06, 09:03

    Um sentimento indescritivel.Desde um arrepio até uma enigmática tristeza me fazes sentir. Estas palavras seduzem. Pasmam, tem feitiço, uma magia. São tuas. Somente tuas...

    ResponderEliminar
  3. Por mais que as queiras submeter a um dia mundial de uma porra qualquer, nunca escreves banalidades. Escreves, por vezes, sobre banalidades, mas com tanto sentimento que lhes imprimes deixam, imediatamente de o ser. E isso é poesia, caro amigo. Com ou sem dia mundial.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Gosto de ler suas palavras, ouvir sua música, me deleitar nessas letrinhas desconexas.
    Abraços de uma brasileira

    ResponderEliminar
  5. I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
    »

    ResponderEliminar