15.2.06

Dinamarca

Descolar o galego, aterrar no catalão. Vou inventar mais sete mares para arrancar a timidez do chão. Imaginando com neve oral, dá-se com a língua nos dentes plantando um jardim em francês, adubo de Barcelona, segunda mão em tesoura castelhana, três ou quatro aviões na diagonal leste, larga semente, espalha sonhos suados de estrume chinês, uma pá com terra, dois regos de luz, sotaque lusitano avaliando a evolução da empreitada, 'esta merda não cresce?', 'puta de neve, por que não é vegetal?', um regador com Sagres. conta quilómetros. Ignorando os sabres do dia, o preço de cada bala, brotarão árvores verdes?

Dinamarca foi escrito em Andorra pensando em Portugal.

12 comentários:

  1. e se calhar ainda nem tinha título 'Dinamarca'... mas o selo Sagres com saudades do teu país. É, definitivamente, outr forma de estar!
    Respira-se bem neste blog, amigo.

    ResponderEliminar
  2. Como tu percebes o meu processo criativo, amigo. :)

    ResponderEliminar
  3. Fadas e Darth Vadder. ou seria Valdemort?

    ResponderEliminar
  4. este homem é um senhor! ele não escreve, ele pinta, levita!

    ResponderEliminar
  5. Vale a pena suportar uma ausência tão longa para, depois, tropeçar em textos de beleza tão rara.
    Grande abraço, amigo. Grande abraço

    ResponderEliminar
  6. Que sorte, agora que vais pa Lisboa, podes finalmente escrever Malásia.

    ResponderEliminar
  7. :)

    Que escrevas sempre!

    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  8. Deliciada com os teus escritos!
    As tuas palavras cheiram a óleo e terbentina!
    Fico rendida aos quadros, e serei visitante assídua da galeria!
    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Tenho muito para dizer mas fico anestesiada diante das palavras e gravuras que vejo em seu blog.
    Melhor linká-lo, se me permitir...

    ResponderEliminar
  10. Cláudia Leal03/03/06, 09:01

    São inteiriços meus pensamentos por ti
    Infindáveis verdades:

    Libente incontroverso das palavras
    Travesso sonhador
    Incendeia campos com magia
    Poetiza teus servos de puro encantamento.

    Instintiva surpresa...
    Audaz admirador
    Adoçante distância abrevias
    Despertar prazer com letras acendes.

    Tuas mãos são intangíveis
    Conscientes actos abraças
    Destemidas batalhas pelo desejo
    Inúbil ansiedade tortuosa.

    ?O prazer dos grandes Homens é tornar os outros mais felizes?
    É seguramente o teu! Grande beijinho**

    ResponderEliminar
  11. Silbo...tenho tantas saudades tuas...*boa sorte*

    ResponderEliminar