28.12.05

"Não quero continuar uma estória que já deu tudo o que tinha a dar..."

Quando o escritor desiste de criar não há mais nada a fazer. Mesmo escondendo mesas com propostas e sapatos dançáveis em cima. Um pacto entre editores não era mal pensado. O Ana [nome de cão] sai de Outono em Pequim de Boris Vian e ressuscita no próximo romance de Mia Couto. A mulher do primeiro homem a cegar abandona as páginas de Saramago para iluminar os versos de António Ramos Rosa. Nada a fazer.
A culpa é do leitor, se o houver. Caso contrário volta a ser de quem pinta.

- As estórias são crias das páginas em branco, meu amor, não têm fim.

tela: La Promenade; August Renoir

12 comentários:

  1. Então escritor, é preciso aprender a escrever para a estória não ficar rasbucada, para não ser escrita e apagada vezes sem conta...

    ResponderEliminar
  2. Mas tu não desistes, pois não? As estórias não têm fim... :)

    Beijo grande*

    ResponderEliminar
  3. Tudo a fazer "contador de estórias" que encantam, intrigam e seduzem ;)
    Feliz ano novo :P

    ResponderEliminar
  4. Um conterrâneo, finalmente, e pelo que vi, percebe de móveis...

    Voltarei mais vezes por cá!

    ResponderEliminar
  5. Cláudia Leal04/01/06, 08:51

    és o motivo de orgulho para muita gente!
    Nunca te esqueças disto...
    Um enorme beijinho de quem tem muita admiração pelo teu trabalho..

    ResponderEliminar
  6. I read over your blog, and i found it inquisitive, you may find My Blog interesting. My blog is just about my day to day life, as a park ranger. So please Click Here To Read My Blog

    ResponderEliminar
  7. E a perpetuação, em obras menores, de Romeu e Julieta, de Tristão e Isolda, como se de novidades se tratassem... E a alusão constante ao exílio justificado de Raskólnikov... E os sempre presentes amores proibidos Aschenbach...
    Apaga-se, lentamente, a criatividade dos escritores. Sofrem, com isso, os leitores. Urge voltar a saber criar.
    A ti, a pena, meu caro!
    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Partilhamos o livro e o abraço nas páginas brancas.

    Que bom q é respirar aqui (como alguém já disse)

    ResponderEliminar
  9. não percebi nada deste post, mas que gostei, gostei!
    bom ano para ti*

    ResponderEliminar
  10. Os teus textos desconexos e anárquicos, inspiram-me... Comecei a escrever "Um longo dia de Frio" para o Luz e Sombra depois de reler alguns textos aqui publicados. Só lamento deveras uma coisa: não actualizares mais vezes este blog. Escreve, nós leitores, precisamos de ti!!!

    ResponderEliminar
  11. Your are Excellent. And so is your site! Keep up the good work. Bookmarked.
    »

    ResponderEliminar