11.6.07

O brincador e a ciência



Um fio de luz evade-se pela raíz e é fruto.
Experimento.
Cócegas de lâmpada na tremura do solo fértil.
Experimenta-se.
A tartaruga atravessa a luz e afinal é mosca, hesita entre espécies, patas no solo e afinal nem é tão tarde assim, mesmo voando rente, entre um tubo e uma pinça.
Experimento.
Seis minutos antes de amanhecer, um homem é abatido a tiro numa passadeira dos arredores da cidade grande. Rastejava de cansaço, com uma carga de sono, álcool, neutralidade perante os elixires desesperantes da vida, uma camisa aberta e uma mulher casada. Tiro no peito.
Experimenta-se.
E então o dia de árvores sem sombra.
Experimenta.
O dia do aprender a morrer e ambos
vivos e mortos descobrem que os erros, apesar de
fatais,
experimentam-se.

A partir de hoje, ao serviço da ciência.

9 comentários:

  1. um beijo
    e uma madrugada

    experimenta

    gosto de ti

    ResponderEliminar
  2. liliana pacheco11/06/07, 15:59

    o brincador no mundo dos adultos?! hum...isto promete ;o).

    beijinho-abraço-beijinho

    ResponderEliminar
  3. em todos os mundos cabe um grande brincador. muito-feliz-pour-toi.

    ResponderEliminar
  4. bon voyage!
    aprende, experimenta, trabalha, mas sobretudo, brinca muito:)

    beijinho repenicado na bochecha*

    ResponderEliminar
  5. Hugo Torres12/06/07, 15:28

    desfaz. =o)

    ResponderEliminar
  6. E imaginava lá a Ciência que um dia ia ter porções de um menino como tu =) *plim*

    ResponderEliminar
  7. belo como sempre
    sempre fresco e novo

    ResponderEliminar