6.8.06

se a beijas na boca e a boca é de ouro,
se a abraças ao espelho e dia é de chuva,
se te sabe a mel todo o mal sem sabor,
se és tu o sonho na ferida dos pulsos,
se gritas como um gato quando lhe queimam a asa,
se não te vêem quando és sangue,
se a beijas nos lábios e ela não sabe,

desconfia,
de tudo.

8 comentários:

  1. Cláudia Leal06/08/06, 18:21

    É fictício mas fabuloso...

    ResponderEliminar
  2. Mas a beleza não está em acreditar em tudo, ainda que cegamente?

    ResponderEliminar
  3. Bruna Pereira10/08/06, 11:02

    desconfia de tudo... des-confia de e em tudo... confia em tudo. As palavras têm mais valor quando arrastadas pela cadeia da ilógica... É o seu segredo. Não espalhes...

    ResponderEliminar
  4. Nunca se desconfia de tudo... ;)

    ResponderEliminar
  5. não existe ficção: só estórias contadas de maneira diferente. do "fabuloso" concordo. de fábula.

    ResponderEliminar
  6. Não vale a pena desconfiar de tudo... é tão bom viver no sonho. Quando se pagar imposto por sonhar... aí, sim, vai ser dura a realidade. "O sonho comanda a vida", já dizia o poeta.

    Kiss
    Kel

    ResponderEliminar
  7. Desconfiança - do (re)começar de qualquer coisa. Ou de um final que se aproxima, uma e outra vez...

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. olá ;)

    um bom conselho, sem dúvida!

    tenho saudades tuas

    espero-te bem

    beijinhos

    alice

    ResponderEliminar